NOSSA HISTÓRIA

Quando eu era mais nova, alguém me apresentou a um livro chamado O Desejo da Sereia. E eu gostei daquele livro. Da emoção, da aventura, das migalhas de romance Friends to Lovers e daquele Corvo que falava. Gostei muito de que houvesse alguém, em algum mundo, passando por provações para realizar o desejo de uma sereia que nem conheciam, pois aquela era sua missão. Acabei lendo a série toda, e como estava de férias, sem televisão, na praia e chovendo, minha mãe me disse "Filha, chega de ler esses livros pequenos. Tu estás lendo eles muito rápido." Me levou em uma livraria e me deu de presente o livro O Mar de Monstros, do Rick Riordan. Pensei, "Ah, é o livro dois, mas eu já vi o filme do primeiro livro, então não tem problema".

Se você conhece a saga de Percy Jackson, deve estar rindo de mim agora.

Muito prazer, eu me chamo Isadora Gonçalves.

Rindo ou não, eu me apaixonei por aquela história. Vi detalhes de uma vida real e de uma imaginária, vi pequenos e grandes problemas sendo resolvidos por um garoto apenas um pouco mais velho que eu. E conheci uma garota chamada Annabeth Chase, que não tinha quase nada além de seus amigos, a família que ela escolheu, e sua inteligência. E nenhum daqueles amigos julgava ela por ser inteligente, mas tinham a vida salva por ela e por sua sabedoria. Eu queria ser igual a ela. Eu me sentia confortável com ela. E eu cresci e me esforcei para ser inteligente que nem ela e, veja só, em grande parte eu consegui. Esse foi meu primeiro passo para me tornar a leitora e a Bookstan que sou hoje. Como para todos os leitores e sonhadores, livros são meu refúgio, meus sonhos e as vezes até uma muleta. Ou um soco no estômago.

Foi durante a Pandemia Mundial de COVID-19 que eu li um livro que foi um soco no estômago para mim e uma salvação ao mesmo tempo. Foi o que desencadeou essa loja, no fim das contas. Eu estava lendo normalmente, com muitas preocupações. Talvez lendo até um pouco de menos. O ano de 2020 havia arrancado de mim a família que eu escolhi, não a de sangue, por vários motivos ao mesmo tempo e eu sentia muita falta deles. Imensa falta. Comecei a trabalhar, me envolvia com os trabalhos de escola, tentava cuidar da minha saúde... E minha amiga me disse:

 

"Isa, lê ACOTAR"

 E eu li. E eu viciei na escrita da Sarah J. Maas. Ela me mostrou, com todas as fantasias possíveis, uma mulher forte superando coisas que eu sentia ter passado muito perto, e isso foi incrível para mim. Decidi continuar conhecendo essa autora e então li A Saga Trono de Vidro. E quando eu conheci a Aelin, eu percebi algo que aquele ano, que o andar da minha vida, estava tirando de mim aos pouquinhos. Ela falou algo para outro personagem da história que foi um soco no estômago, um tapa na cara para mim. Eu estava sobrevivendo.

E eu queria viver.

Não existir, não sobreviver. Viver.

Muita coisa em mim mudou depois disso, e eu sou muito grata a Sarah por ter me proporcionado isso. Assim como sou muito grata ao Tio Rick, por ter me mergulhado de cabeça na leitura quando eu era pequena, e com seus livros, ter me mantido apaixonada pelas palavras.

Não demorou muito para meu TikTok virar um BookTok e para Devaneio nascer.

Devaneio significa produto da imaginação, coisas que não são reais, sonhos, fantasia. Em inglês, a palavra é Daydream, que significa, literalmente, Sonhar Acordado. Lendo, é assim que eu me sinto. Sonhando acordada, com um mundo apaixonante cheio de vidas que eu ainda não vivi, e posso viver nas páginas do papel. E eu amo meus Devaneios, eles me fazem quem eu sou.

Decidi trazer esses Devaneios mais perto de todos os leitores e Bookstans abrindo a loja Devaneio Literário. Ainda passamos por vários tropeços, mas aos pouquinhos vamos avançando, por que nem mesmo a melhor das histórias nasce pronta. 

WhatsApp Image 2021-06-28 at 11.24.53.jpeg